O que um trânsito caótico pode te ensinar?

À primeira vista, pode ser assustador, sobretudo para aqueles que não estão acostumados a ver…. A ver o quê? Carros, motos, bicicletas, elefantes, camelos; e daí? Quem já esteve na Índia e no Egito (ou em algum outro país que tenha uma realidade semelhante) sabe o que estou falando.

O trânsito é caótico! Nenhuma queixa do meu lado, pois reclamar não faz parte das minhas atitudes, eu até sinto saudade das buzinas e da aparente falta de ordem do trânsito em 2 países que marcaram a minha vida.

Junto à saudade, vieram as lições aprendidas ao refletir minha posição e minhas atitudes naquele trânsito doido e excelentes reflexões que fazem um perfeito paralelo às nossas atitudes para com as nossas vidas. Como assim?! Então, vamos refletir:

  1. Oportunidades à vista: você pretende ir do ponto A ao ponto B. Independente de simplesmente atravessar a rua, de percorrer quilômetros no trajeto casa-trabalho, você tem um objetivo de chegar ao seu destino pretendido, certo?  Num paralelo com a sua vida, você sabe o que pretende conquistar para você viver como sonha? Visualizar os seus objetivos é o primeiro e mais importante passo!
  1. Corra os riscos:  Mas… Ao ver todos os tipos de veículos sem nenhuma ordem, ou aparente falta de ordem num conceito ocidental, você sente medos: de ser atropelado, de não conseguir sair do meio da rua, etc.  Os inúmeros veículos e quaisquer elementos que você ver no meio do caminho lembram as pressões, os desencorajamentos, as dificuldades, os imprevistos, etc. E aí, vai tremer? Vai deixar de buscar os seus objetivos?
  1. Tudo em perfeita ordem: você atravessa a rua em meio a carros, autorickshaws, elefantes, camelos, ônibus, motos, etc. e chega aonde pretendia. E depois de chegar, valeram aqueles medos antes do primeiro passo? À medida que este hábito é internalizado na sua rotina, passa a ser a coisa mais normal do mundo.

Assim é o mundo e a vida. Milhares de movimentos individuais que, aparentemente caóticos e sem direção, formam uma perfeita e harmônica ordem. Algo que pode ser resumido na frase que li no livro Work the system de Sam Carpenter de Henry Miller: “Confusão é uma palavra que inventamos para uma ordem que não entendemos.”

Tudo é uma questão de perspectiva, inclusive caos e ordem. Entenda seus objetivos, os caminhos que você precisa percorrer e tudo fluirá naturalmente na hora certa!

Anúncios

5 minutos, 5 minutos indianos e 5 minutos egípcios

São 16:00 h e um indiano ou egípcio fala que vai chegar dentro de 5 minutos. A que horas você imagina que ele/ela chegará? Às 16:05 h? Hahaha, normalmente não.

Na lógica de muitos indianos ou egípcios, estes 5 minutos acabam se passando em 40 minutos, 1 hora, 2 horas ou muito mais que isso…Pontualidade não é comum em ambos os países. Mas por quê?

Porque na maior parte da Ásia e do Oriente Médio – e vamos incluir também Brasil e América Latina – as pessoas não têm uma percepção de tempo linear, não regulam a sua rotina com base em horários fixos. Em muitas destas culturas, momentos são desfrutados e vividos como únicos, e a vida – assim como as coisas mais simples na rotina de um cidadão – se leva ao sabor do destino ou do “maktub“. A vida é percebida como algo muito mais amplo que trabalho, estudos, compromissos… Ou seja, nessa percepção de tempo a vida não cabe numa agenda.

Na maior parte da Ásia e do Oriente Médio, o tempo passa ao sabor do destino e dos momentos

Na maior parte da Ásia e do Oriente Médio, o tempo passa ao sabor do destino e dos momentos

Da mesma forma, é interessante notar como a dinâmica tempo e rotina passa de um modo incontrolável. Imprevistos e surpresas acontecem a toda hora, nunca se sabe o que vai acontecer nas próximas horas, e nunca existe um dia igual ao outro, nunca mesmo! Rotina é algo que não existe!

Estrangeiros costumam não entender e ter dificuldades em se adaptar a essa diferente percepção de tempo, sobretudo europeus e norte-americanos. Reclamar e fazer julgamentos jamais serão caminhos para a solução, pelo contrário, levam ao isolamento da cultural local e a reações inconvenientes. Posso dizer que o melhor de tudo é surfar os imprevistos como faz qualquer pessoa que se criou naquela dinâmica. (…) Don’t you worry, don’t you worry child, See heaven’s got a plan for you! (…)